Sou Agro > Tempo Real > Agência dos EUA inicia avaliação da política para etanol de milho
20 de agosto de 2012
Agência dos EUA inicia avaliação da política para etanol de milho

Diferentemente do Brasil que faz etanol de cana-de-açúcar, Estados Unidos usam o cereal, o que acaba interferindo na oferta de alimentos mundial

Agência Estado

A administração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sinalizou pela primeira vez que reavalia a política nacional para etanol, depois que governos questionaram a necessidade de se misturar álcool à gasolina num momento de forte alta nos preços do milho. A seca que atinge a maior parte do país impulsionou as cotações do cereal nos últimos meses. O milho é a principal matéria-prima do etanol nos EUA.

A Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês) afirmou na segunda-feira que recebeu pedidos formais dos governadores do Arkansas e da Carolina do Norte para flexibilizar os padrões de energia renovável. A avaliação da EPA será feita nos próximos 90 dias e pode resultar na primeira suspensão ou redução das exigências de mistura de etanol à gasolina. O anúncio da EPA vinha sendo esperado, pois governadores se manifestaram publicamente na semana passada.

Neste ano, a EPA pediu que as refinarias misturassem 13 bilhões de galões (49,2 bilhões de litros) de etanol à gasolina. Desde 2005, o Congresso dos EUA determinou que o país reduzisse sua dependência do petróleo estrangeiro, aumentando gradualmente o consumo de combustíveis renováveis. A expectativa é de que em 2013 sejam utilizados 14 bilhões de galões.

Criadores de animais também pediram à EPA que revisasse a política para o etanol, criticando os elevados preços para ração animal. Pecuaristas disseram que produtores de etanol agravam o problema, pois consomem 40% da produção de milho do país. A indústria de etanol considera que atualmente consome menos de 26% e diz que provoca um impacto relativamente pequeno nos preços do milho.

Produtores de etanol estão confiantes em que o governo Obama possa manter o Padrão para Energia Renovável (RFS, na sigla em inglês). Da última vez que foi solicitada a revisão da política para etanol, em 2008, a EPA se recusou a fazê-la, dizendo que os Estados precisariam provar “graves prejuízos”. As informações são da Dow Jones.

Deixe uma resposta