Sou Agro > Notícias > Agrosustentável > FAO reconhece projeto RenovAção como exemplo de boa prática socioeconômica
19 de março de 2012
FAO reconhece projeto RenovAção como exemplo de boa prática socioeconômica

Órgão da ONU destaca o programa de requalificação de ex-cortadores de cana em novo documento

Redação

Mário Vendramini

Cortadores de cana recebem qualificação para atuar na colheita mecanizada e em outras áreas

O projeto RenovAção, de requalificação profissional de cortadores de cana-de-açúcar no Brasil, foi apontado pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) como um exemplo a ser seguido, no documento “Boas práticas socioeconômicas na produção moderna de bioenergia” (leia na íntegra em inglês).

Lançado no dia 6 de março, o documento destaca casos de sucesso de acordo com os Indicadores e Critérios de Bioenergia e Segurança Alimentar, lançados pela FAO em 2009. O projeto RenovAção foi destacado no quesito “emprego, salários e condições de trabalho”.

Coordenado pela UNICA em parceria com a Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo (Feraesp), o Projeto RenovAção começou a oferecer cursos de profissionalização em fevereiro de 2010. Até abril de 2012, 4.350 ex-cortadores de cana terão sido requalificados em 83 usinas de processamento de cana.

A mecanização do corte da cana reduz os impactos ambientais da atividade, ao eliminar a necessidade da queima da palha da cana, mas está gradualmente substituindo os cortadores manuais. O projeto RenovAção prepara os cortadores de cana para trabalhar nas frentes de colheita mecanizadas e também para desempenhar outras funções de grande demanda nas regiões atendidas.

“Esta chancela da FAO é um reconhecimento notável, além de reforçar a importância de programas de requalificação da mão-de-obra rural para o avanço sustentável da tecnologia no campo,” afirma Maria Luiza Barbosa, gerente de Responsabilidade Social Corporativa da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

O projeto RenovAção recebe apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e patrocínio do Grupo Case, John Deere, Syngenta, FMC e Iveco, além da Fundação Solidaridad, uma das mais importantes entidades voltadas ao desenvolvimento de cadeias de produção sustentáveis, com sede na Holanda.

Deixe uma resposta