Sou Agro > Tempo Real > Mendes Ribeiro: exportação agrícola pode não ter vantagem com câmbio
11 de maio de 2012
Mendes Ribeiro: exportação agrícola pode não ter vantagem com câmbio

Exportações de produtos agrícolas do Brasil aumentaram 24% em 2011 na comparação com 2010, atingindo o recorde de US$ 95 bilhões

Agência Estado

A recente desvalorização do real ante o dólar não deve acelerar as exportações de produtos agrícolas em 2012, afirmou nesta sexta-feira o Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro. “Eu gostaria de chegar à mesma taxa de crescimento do ano passado, mas acredito que podemos não chegar lá por dificuldades causadas pelo clima e a crise internacional”, disse.

As exportações de produtos agrícolas do Brasil aumentaram 24% em 2011 na comparação com 2010, atingindo o recorde de US$ 95 bilhões. A meta para este ano é alcançar US$ 100 bilhões, de acordo com o secretário de relações internacionais do Ministério, Célio Porto. Embora muitos produtores brasileiros vendam seus produtos em dólar, também grande parte do custo de produção é denominado na moeda norte-americana. “É um zero a zero, ninguém fez gol ainda”, declarou o ministro.

O comentário se baseia no fato de que o real voltou aos níveis observados em meados de 2009, em relação ao dólar, pois investidores estão mais preocupados com a crise na zona do euro e o Banco Central parou de comprar dólares. A fraqueza do real também reflete esforços do governo brasileiro e do Banco Central para tornar a moeda mais barata e ajudar os exportadores do País.

O governo está tentando ampliar o acesso de produtos brasileiros a outros mercados, como é o caso das carnes, e também fortalecer relações com parceiros comerciais como a China. As exportações de produtos agrícolas do Brasil para a China aumentaram cerca de 50% em 2011 ante 2010, para US$ 16,5 bilhões. A Ásia e a União Europeia agora respondem por 57,8% das exportações de produtos agrícolas do Brasil, segundo o Ministério.

Mendes Ribeiro vai visitar Pequim ainda neste mês e quer que mais produtos de carnes do Brasil sejam autorizados a entrar na China, assim como elevar o número de Estados brasileiros que podem exportar tabaco. O secretário Célio Porto lembrou que o frango é a principal carne importada pelos chineses.

“Temos 25 estabelecimentos autorizados a exportar frango para a China e outros 47 que estão registrados (mas ainda não começaram) a vender”, afirmou. Segundo ele, atualmente a China importa mais de US$ 1 bilhão em frango por ano. As informações são da Dow Jones.

Deixe uma resposta