Sou Agro > Mundo Agro > Cultura & Variedades > O campo na avenida
15 de fevereiro de 2012
O campo na avenida

Escolas e blocos homenageiam a cultura sertaneja e sabores do Brasil

Júnior Milério

É unânime, o carnaval é a época mais aguardada no Brasil. Seja por aqueles que preferem usar os quatro dias e meio para descansar ou pelos foliões que botam o pé na avenida para sambar até o dia nascer. E a cada ano, escolas de samba do Rio de Janeiro e de São Paulo prestam homenagens aos mais variados temas e personalidades. E, entre tantos assuntos, por que não enredos sobre o Rally dos Sertões, Luiz Gonzaga, o rei do baião e, sim, os sabores da agricultura, que fazem a nossa culinária?

A escola de samba X9 Paulistana acompanhou o percurso do Rally dos Sertões em 2011 para celebrar, em samba, os 20 anos que a competição completa neste ano. Historiador, antropólogo e carnavalesco, Rodrigo Cadete diz que, para elaborar o samba-enredo “Trazendo para os braços do povo o coração do Brasil, a X9 Paulistana desbravou os sertões, num grande rally, dessa gente varonil”.

Divulgação

Fantasia da ala "“este tempero tem amor” da Camisa Verde e Branco

Cadete define sua experiência com os sertões brasileiros como uma boa surpresa. “Fui a regiões que nunca imaginei existir, e me deparei com paisagens lindas e culturas muito ricas. O sertanejo tem a brasilidade muito forte na sua vida. E é isso que vamos levar para a avenida.”

Xote carnavalesco
Já no Rio de Janeiro, Luiz Gonzaga, o rei do baião, é quem vai desfilar em alas, carros alegóricos e fantasias pela famosa Sapucaí. A escola fluminense, Unidos da Tijuca vai celebrar o centenário de nascimento do cantor pernambucano, falecido em 1989.

Também em homenagem ao cantor, o bloco de Recife, Galo da Madrugada, que se define como “o maior bloco do mundo”, tem como tema neste carnaval de 2012 “Galo, Frevo e Folião: Homenagem ao Rei do Baião”. A 35ª edição do Galo pretende animar milhões de foliões, segundo a organização, que em 2009, já passavam de dois milhões de pessoas na avenida.

Uma ala de sabores
“É o amor”… Com este título, o samba-enredo da escola paulistana Camisa Verde e Branco pretende levar, entre outras, a ala “este tempero tem amor”. Entre os componentes, chefs, garçons e outros profissionais que trabalham com alimentos vão dar o ritmo da ala mais saborosa do carnaval. O carnavalesco Anselmo Brito lembra a máxima, “quem nunca foi pego pelo estômago?”, sugerindo a conquista amorosa com receitas que encantam as pessoas.

Já conquistados por diversos sabores, chefs vão encarar a abertura do carnaval paulistano no Anhembi na próxima sexta-feira. A Camisa Verde e Branco inaugura o desfile este ano. Janaina Rueda, do Bar da Dona Onça, Carlos Ribeiro do restaurante Na Cozinha e Paula Labaki, do Lena Labaki são três cozinheiros com samba no pé e bom tempero no dia a dia.

“Todo espaço dado à gastronomia é bom. É um assunto que tá em alta, e ajuda a valorizar ainda mais”, acredita Paula. Chef de cozinha premiado e diretor da ala, Carlos Ribeiro completa, “estou na contagem regressiva. Cozinheiro é um povo festeiro”.

Deixe uma resposta