Sou Agro > Tempo Real > Rally da Pecuária avalia impacto da alta dos grãos no confinamento
20 de agosto de 2012
Rally da Pecuária avalia impacto da alta dos grãos no confinamento

Alta dos insumos e preços futuros da carne com tendência baixista diminuem intenção de confinamento

Agência Estado

A edição 2012 do Rally da Pecuária pretende avaliar o impacto dos preços dos grãos – milho e soja – no segundo turno do confinamento. No ano passado, os pecuaristas consultados diziam esperar confinar 18,5% mais em 2012, para chegar a 4 milhões de cabeças. De acordo com  o diretor da Bigma Consultoria, Maurício Palma Nogueira, o aumento dos insumos na decisão do confinador será sentido em apenas 45% das intenções, já que se estima que 55% dos animais já foram ofertados no primeiro turno.

“É evidente que você terá redução na intenção de confinamento. Além da alta dos insumos utilizados na dieta, os preços (da carne) projetados no mercado futuro estão baixos, o que prejudica a rentabilidade dos confinadores. Já soube de casos de produtor que vendeu os bois e os insumos, porque iria ter prejuízos”, declarou. Por outro lado, conforme Nogueira, o aperfeiçoamento das tecnologias utilizadas no sistema de engorda pode ajudar a minimizar o aumento do custo na produção.

O Rally da Pecuária, organizado pelas consultorias Bigma e Agroconsult, sairá de Goiânia na quarta-feira (22). “Queremos aumentar o volume de questionários respondidos. No ano passado, dos 1,2 mil aplicados, o porcentual de retorno foi de 30%. Neste ano, queremos subir para 40% a 50%”, disse o sócio-diretor da Agroconsult, André Pessôa.

As equipes percorrerão cerca de 40 mil quilômetros em nove Estados – onde estão 75% do rebanho e 85% da produção de carne bovina no País. Nessa edição, ocorrerão também encontros técnicos com produtores, além dos eventos já programados. “Nesses encontros queremos discutir questões como ocupação de terra e integração lavoura-pecuária, que é uma tendência cada vez mais forte”, declarou Pessôa.

“Vamos também comparar os dados que conseguimos das condições das pastagens em 2011 com o que levantaremos esse ano”, completou Nogueira. A Agência Estado acompanha o trajeto que sai de Araguaína, no Pará, no dia 26 de agosto, e vai até Cuiabá (MT), em 2 de setembro.

Deixe uma resposta