Sou Agro > Notícias > Brasil Agro > Show de tecnologia e de bons negócios
13 de fevereiro de 2012
Show de tecnologia e de bons negócios

Há quase duas décadas, feira agrícola da Coopavel contribui para o desenvolvimento socioeconômico da cidade de Cascavel e região

Juliana Ribeiro

Nem bem o mês de fevereiro começa e a cidade paranaense de Cascavel já percebe as mudanças em sua rotina. É assim ano após ano, há quase duas décadas. Durante uma semana, o município com quase 300 mil habitantes é palco da primeira grande feira do calendário nacional do agro, a Show Rural Coopavel, organizada pela cooperativa que dá nome ao evento.

Consagrada por levar aos produtores os principais lançamentos da tecnologia, pesquisa, máquinas e equipamentos, a feira atrai visitantes de todos os cantos do País e do exterior, especialmente da América do Sul. A edição deste ano, que aconteceu entre os dias 6 e 10 de fevereiro, registrou número recorde de visitantes.

Ao todo 197.906 pessoas passaram pelo parque de exposições, com 720 mil metros quadrados e 406 expositores. O número superou as expectativas de Dilvo Grolli, presidente da Coopavel. “Esperávamos ter em torno de 180 mil visitantes”, diz.
Com tantas pessoas circulando pela cidade nesse período, encontrar um quarto disponível em um dos hotéis é missão impossível.

Divulgação

Show Rural Coopavel movimenta a economia de Cascavel e região

Durante sua estadia, a equipe do Sou Agro ficou hospedada em Toledo, cidade a 40 quilômetros de Cascavel. “Não só na cidade, mas em um raio de mais de 50 quilômetros, todos os hotéis, pousadas e pensões já estão lotados”, explica Leopoldo Nestor Furlan, presidente da Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic).

No Hotel Bourbon, pertencente à rede internacional de mesmo nome, localizado no centro de Cascavel, alguns hóspedes chegam a fazer reservas com um ano de antecedência. “Mal acaba uma feira e os clientes já solicitam a reserva para a próxima”, relata Karina dos Reis, executiva de contas da unidade. Ela explica ainda que durante o período de realização do evento, as tarifas sofrem reajuste de até 100%, por causa da procura. Para quem quiser se programar desde já, a próxima Show Rural já tem data marcada. Será entre os dias 4 e 8 de fevereiro de 2013.

Divulgação

"A agricultura é um fator de progresso e riqueza do município", diz o prefeito de Cascavel Edgar Bueno

Para o prefeito de Cascavel, Edgar Bueno, além da importância econômica da feira para a cidade, a Show Rural vem se consolidando como uma importante vitrine para o Brasil. “Os produtores vem, conhecem as novidades, fazem novos negócios, aprendem e irradiam o conhecimento adquirido”.

Ele destaca ainda que com o crescente fluxo de turistas e pessoas que fazem negócios na cidade durante a feira e em outras épocas do ano, o aeroporto também está se estruturando. Tanto é que a Azul Linhas Aéreas já anunciou que fará voos para a cidade em breve. Seguindo a linha do desenvolvimento, “já existem alguns projetos para a construção de novos hoteis na cidade também”, adianta Furlan.

Bares e restaurantes alteram horário
Para receber o grande número de visitantes, os bares e restaurantes da cidade trabalham a todo vapor. “Muitos deles, que não funcionam às segundas, passaram a trabalhar todos os dias na semana da feira”, explica Leonídia Romani, presidente do Sindicato de Hoteis, Bares e Restaurantes de Cascavel.

Segundo ela, como a cidade já é bem movimentada durante o resto do ano, nesse período, é comum moradores alugarem casas, chácaras e salões para os turistas. Outros setores também se beneficiam indiretamente como o comércio, as empresas de transporte e aluguel de vans e carros, além daquelas especializadas em paisagismo e montagem de estandes.

Quando se fala de impacto econômico da Show Rural para a cidade, ninguém sabe ao certo precisar. Mas segundo Grolli, presidente da feira e da Coopavel, cooperativa organizadora do evento, se cada um dos quase 200 mil visitantes gastar R$ 50 reais na cidade, com alimentação e combustível, o impacto na cidade será de aproximadamente R$ 10 milhões. “Isso sem contar os negócios realizados na feira.”

Dentro do centro de exposições, a edição de 2011 movimentou cerca de RS 800 milhões, de acordo com dados dos bancos presentes na feira. Para este ano, ainda não há números oficiais, mas a estimativa é de que os valores sejam maiores. Para o prefeito Bueno, esse crescimento é ótimo, já que a agricultura é um fator de progresso e riqueza do município, juntamente com outros setores como a indústria e o comércio. “Eles caminham juntos e ajudam a gerar empregos, renda e desenvolvimento para a cidade”.

Deixe uma resposta